FFA Advocacia
was successfully added to your cart.

Mecânica para Mulheres

By 5 de março de 2018Sem categoria

Mecânica e Mulheres: Dicas básicas para averiguar o óleo do motor

Aqui na Rodão Pneus a gente defende que o conhecimento é o maior trunfo contra as adversidades. Mas claro, sabemos que em função de uma cultura de estereótipos e preconceitos, as mulheres muitas vezes não recebem a devida atenção, ficando – normalmente – sem o necessário conhecimento para que tenham a autonomia adequada diante de imprevistos automotivos.

E é por isso que aqui, você sempre vai encontrar informações úteis sobre como proceder diante dos problemas para que consiga resolver qualquer situação sozinha.

Já falamos aqui anteriormente o passo a passo para a troca de pneus, sem precisar da ajuda de quem quer que seja. E hoje vamos falar sobre uma situação igualmente comum: a troca de óleo.

Você já sabe quando é o melhor momento pra trocar o óleo do motor ou como indicar sinais de que já passou da hora?

Se liga nas dicas que a Rodão separou pra você:

Óleo: Por que trocar?

Já parou pra pensar em quantas peças diferentes compõe o seu veículo?

Diversos são os componentes que exigem um nível contínuo de lubrificação de forma que seu desgaste seja evitado e sua performance mantida.

Normalmente, o problema de se manter essa constância se dá em função da troca de calor que ocorre – de forma inevitável – no motor. Em outras palavras, o óleo tem que permanecer sempre com as mesmas propriedades de lubrificação, seja no frio ou calor.

É por isso que se deve sempre ficar atenta ao uso do óleo dentro dos padrões recomendados para seu veículo, e – claro – trocá-lo de tempos em tempos (ou quilômetros em quilômetros). Inclusive, é bom ficar atenda, pois óleos “errados” podem surtir efeito oposto ao da conservação e prejudicar o desempenho do motor do seu carro.

Na pior das hipóteses, a ausência de óleo pode fundir o motor. Já ouviu aquela expressão “bater o motor”? Então, é assim que isso ocorre.

Por essas e outras razões relacionadas não somente à performance do seu carro, mas também sua segurança, é sempre bom efetuar a troca de óleo dentro dos prazos indicados pelo fabricante.

Além disso, se você estiver pensando no ponto de vista financeiro como obstáculo para trocar o óleo, lembre-se: trocar o óleo pode até ter um custo, mas imagina os gastos que vai ter caso não o faça e seu motor venha a ter sérios problemas.

 

Manual do carro: tenha sempre em mãos.

Se você possui alguma duvida sobre a periodicidade que deve ser levada em consideração para a troca de óleo, a dica é ficar com o manual do carro por perto. Sabe aquele livrinho que normalmente a gente guarda no porta-luvas e quase nunca pega pra dar uma olhada? Então, é ele mesmo que você deve ter sempre por perto.

Nele, você encontra tudo que precisa saber a respeito do seu veículo, já que o modelo do seu carro é determinante para saber o tempo de troca de óleo ou a quilometragem adequada para realizar a troca.

 

Descubra o óleo certo para seu veículo.

Vamos lá, como dissemos acima, tenha em mãos o manual do proprietário, nele você vai conseguir identificar qual o melhor tipo de óleo para seu carro. Seu óleo poderá ser de base mineral, sintética ou semissintética.

Lembre-se: Jamais misture os tipos de óleo. Esse tipo de procedimento danifica o desempenho do motor do seu carro.

Outra coisa importante a ser lembrada é que o lubrificante costuma ir perdendo a viscosidade com os meses. Algo que está diretamente relacionado à integridade das peças.

 

Fique atenta aos prazos de troca.

Hoje, com o advento dos smartphones, nossa dica é: anote no seu celular. Sabe aquele aplicativo de bloco de notas? Então, anota nele a data de cada troca e a quilometragem referente à próxima troca.

Normalmente quando a troca de óleo é feita, um adesivo é colado no seu para-brisa para que fique sempre visível e de fácil localização. No entanto, é comum que esse papel descole, se perca, ou apague por razões adversas. Na dúvida, anote.

É importante que faça essa troca no prazo correto, pois caso contrário, seu carro pode aumentar o consumo de combustível além de apresentar falhas no motor e até a fundição dele.

 

Verificando o nível do óleo: faça você mesma.

Caso você seja dessas bem “pra frente” que mete a mão na massa mesmo, tome cuidado com alguns critérios.

A primeira coisa que você deve fazer é desligar o motor e aguardar – no mínimo – cinco minutinhos. Assim você evitará ter contato com o óleo excessivamente quente.

A segunda coisa que deve ter em mente é que seu carro deve estar para num local plano. É comum que os níveis de óleo sejam alterados se você estiver num lugar íngreme e além disso, como o carro estava ligado (e rodando), uma parte do óleo sobre para o motor.

No tempo de cinco minutos, normalmente o óleo já volta para a posição normal e possibilita uma medição mais assertiva. Sem contar, que caso você não observe esses parâmetros, a indicação poderá parecer deturpada (como se seu carro tivesse menos óleo).

Mas, normalmente, o melhor momento para fazer essa verificação é pela manhã, antes de ligar o carro (quando ele está frio). Nossa sugestão é fazer isso antes de sair para o primeiro compromisso do dia.

 

Verificando o óleo

Tenha um pano, flanela, papel toalha, ou algo do tipo em mãos. Será necessário limpar a vareta do óleo.

Ao verificar, puxe a vareta de medição e limpe-a com a flanela que tiver. É importante que você se assegure de não deixar nenhum tipo de resíduo ou detrito, caso contrário poderá sujar o óleo do seu carro.

Após limpar, coloque-a novamente no medidor. Antes, toda suja, você não conseguiria identificar o real nível que seria mostrado nela. Na segunda vez que a inserir – limpa – ela voltará com a marcação certa.

São duas as marcações: uma estará indicando o nível mínimo e a outra marcação mostrará o nível máximo. O esperado é que a marca do óleo esteja entre as duas, ou seja, no meio das marcações.

Caso a marca esteja inferior ao mínimo, você deve efetuar a troca o quanto antes. No caso de extrapolar a marca que representa o máximo, vai ser necessário levar seu carro a um mecânico e drenar uma parte do óleo.

 

Filtro de óleo: quando trocar?

Outra coisa fundamental é essa pecinha chamada Filtro de Óleo.

Como dizem mecânicos de longa data: de nada adianta trocar o óleo se o filtro está sujo.

No filtro ficam concentradas todas as impurezas que o motor gerou. Assim, um filtro que esteja repleto de sujeira, poderá sujar seu óleo (aquele novinho que você acabou de trocar). E isso praticamente torna sua troca de óleo um grande desperdício.

Além do mais, um filtro sujo pode prejudicar seu motor e ainda tornar o consumo de combustível bem maior.

Lembre-se: trocou o óleo, trocou o filtro.

Mecânico: sempre tenha um em quem possa confiar.

Essa dica já diz respeito a qualquer assunto relacionado à manutenção do seu carro. E isso já não tem a ver com autonomia, gênero ou preconceito. Todos, homens ou mulheres, devem ter um mecânico de confiança. Isso por causa do conhecimento técnico que ele pode te oferecer.

Um mecânico qualificado – e confiável – sempre vai esclarecer suas dúvidas, além de te indicar os reais problemas do seu veículo sem tentar te empurrar produtos dos quais você não precisa.

Na dúvida, fale com ele.

Leave a Reply